Home Crítica - Série Crítica da Temporada 1 de Supergirl

Crítica da Temporada 1 de Supergirl 3.5

311
0

Não foi fácil fazer a crítica da temporada 1 de Supergirl, pois a série começou bem fraca, eu mesmo quase desisti de assisti-la, mas continuei firme e forte e creio que ela conseguiu fazer um bom trabalho em sua primeira temporada.

Supergirl conta a história de Kara Zor-El, prima de Kal-El, o Superman, que foi enviada para a terra antes da destruição de Krypton pelos pais delas para cuidar de seu primo Kal-El que ainda era um bebê. Mas a nave dela foi atingida por uma onda de choque e lançada para dentro da sombria Zona Fantasma, uma prisão intergalática para onde é enviado os criminosos de Krypton, que foi criada por Jor-El, pai kryptoniano de Superman. E após um período adormecida, a cápsula de Kara foi em direção a Zona Fantasma e chegou a terra, onde ela encontra seu primo Kal-El/Superman já adulto e super poderoso, que entrega ela para uma familia de cientistas, onde foi adotada como Kara Danvers, e só depois de 12 anos ela revela seu poderes ao evitar um acidente aéreo e salvar os passageiros que incluía sua irmã terrestre Alex Danvers. E agora ao lado de seus amigos James, Winn e o DEO ela divide o tempo dela em proteger o mundo como Supergirl e ser uma pessoa normal trabalhando como assistente pessoal da personalidade da mídia Cat Grant

Creio que a escolha do elenco foi um dos destaques de Supergirl, começando com Melissa Benoist, que é Kara Zor-El/Kara Danvers/Supergirl, que consegue fazer muito bem o papel da personagem, toda atrapalhada e cheia de inseguranças, mesmo sendo a Supergirl. Tivemos também Chyler Leigh, como Alex Danvers, a irmã de Kara, que cuidou muito bem da irmã alienígena, que consegue ser segura, badass e sentimental ao mesmo tempo, passando muita confiança em sua interpretação. Calista Flockhart no papel de Cat Grant roubou completamente a cena com uma personagem engraçada, um humor ácido e com uma personalidade fortíssima e que todos gostam. David Harewood que interpreta Hank Henshaw e uma personagem sensacional que não vou citar para não dar spoilers, também atuou muito bem, ainda mais quando ele revelou a identidade secreta dele.

É uma boa série para se assistir, é bem interessante e tem um grande potencial, e claro está dentro do Universo DC que para os fãs é muito importante está por dentro de tudo. Eu e todos os fãs estamos muito ansiosos esperando o canal CBS, o canal que mais decepciona os fãs, divulgar se irá renovar ou cancelar a série, que seria algo muito triste. Lembrando que Supergirl é a única série do canal que ainda está com futuro indefinido.

Agora falarei um pouco da crítica da temporada 1 de Supergirl com algumas informações a mais, que não chegam a ser SPOILERS, mas algumas pessoas podem não gostar, então pare por aqui.

O que mais me atraiu para série foi quando no episódio “Human for a Day”, foi revelada a identidade secreta de Hank Henshaw como J’onn J’onzz, conhecido como  Martian Manhunter (Caçador de Marte), que aqui no Brasil ficou conhecido como Ajax, o marciano. Mas além disso a série melhorou muito com o passar dos episódio, com bons personagens, boas histórias e se tornou bem convincente. O crossover no episódio “Worlds Finest” entre Supergirl e Flash foi ótimo, mostrando o potencial de Supergirl, e mais uma vez a qualidade de Grant Gustin no papel de The Flash.

Creio que o ponto fraco da série foi a insistência em mostrar o Superman sem mostrar o Superman, mostrando de costas, com imagens fora de foco e só as botas. Eles tem que decidir se irão mostrar o personagem igual ao do cinema, algo que será bem difícil e caro, ou criar ou personagem só para o mundo das séries.

Se ainda não conhece a série veja o trailer aqui.

Se você já assistiu deixe sua opinião nos comentários!


Crítica
ÓTIMA


(311)

Léo Um engenheiro fanático pelo mundo nerd, viciado em cinema e televisão.

LEAVE YOUR COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *